Dezembro 09 2013

A viagem a Belém

 

Vejo uma estrada principal. Ela vem com muitas pessoas. Burros carregados com ferramentas e pessoas. Burros que  regressam. Pessoas que usam as esporas. Quem vai a pé, vai rápido, porque está frio.

 

O ar é limpo e seco. O céu é sereno, porque tem esse frio cortante dos dias frios de inverno. O campo parece maior sem folhas e capim têm crescido pouco, nos pastos queimados com ventos de inverno, as ovelhas à procura de algo para comer e buscam o sol que sobe lentamente, uma se estreita na outra, porque também elas tem frio e balem elevando seu tronco em direção ao sol como se quisesse dizer-lhe: "Venha logo, está frio! ". O terreno tem ondulações que estão se tornando mais claras. É realmente um terreno montanhoso. Há manchas de capim, assim como pequenos vales. A estrada passa pelo meio deles, e se dirige para o sudeste.

 

Maria vem montada em um jumentinho cinza. Envolta em um manto pesado. Na frente da sela está o cinto que estava na viagem de Hebron e no cofre as coisas que são necessárias. José caminha ao lado dela, tomando as rédeas. Você está cansada? Solicita ao longo do tempo.

 

Maria olha para ele, lhe sorri. Responde: "Não." Na terceira vez ela acrescenta: " Você deve sentir-se cansado com a forma como temos feito. "

 

"Oh, eu ou qualquer coisa! Eu acho que se eu tivesse encontrado um outro de burro, você poderia vir mais confortável e que andaria mais rápido. Mas não achei. Todo mundo precisa nestes dias de um cavalo. Sinto muito. Logo chegaremos a Belém. Mais além daquela montanha está Éfrata. "

 

Ambos estão silenciosos. A Madonna, quando não fala, parece que está em oração. Sorri docemente a um pensamento que tem consigo. Se olha as pessoas, parece como se não as visse : homens, mulheres, anciãos, pastores, ricos, pobres, mas sim o que só Ela vê.

 

"Você está com frio? "José pergunta, porque venta. "Não, obrigada".

 

Mas José não acredita. Ele tocou os pés dela ao lado do burrinho, calçados com sandálias e mal aparecem através do vestido longo. Devem estar frios, de qualquer modo, porque ele balança a cabeça e tira uma capa e coloca sobre os joelhos de Maria, cobrindo os joelhos, de modo que suas mãos ficam aquecidas por baixo do manto.

 

Encontram um pastor que atravessa com seu rebanho de um lado para o outro. José diz-lhe alguma coisa. O pastor diz que sim, José leva o burro e o leva para trás do gado que está pastando. O pastor toma uma rústica xícara de seu alforge e ordenha uma robusta ovelha. José pega a xícara e entrega a Maria.

 

Deus te abençoe", diz Maria. "À você, pelo seu amor, e por sua bondade. Vou rezar por você. "

 

" Vem de longe? "

 

"De Nazaré", José responde.

 

"Aonde está indo?"

 

"A Belém . "

 

O caminho é longo para as mulheres nesse estado. É sua esposa? "

 

"Sim".

 

"Você tem aonde ficar? "

 

"Não."

 

"Será difícil! Belém está cheia de pessoas que vêm de todos os lados para o censo ou vão para outro lugar. Eu não sei se você vai encontrar hospedagem. Você conhece bem o local? "

 

"Não muito bem. "

 

"Bem .. . Eu vou mostrar ... porque se trata dela e mostra Maria. Procurem alojamento. Estará cheio. Digo-te para te dar uma idéia. Lá tem uma praça. É a maior. É alcançado pela estrada principal. Você não pode equivocar-se. À frente dela está uma fonte. O alojamento é grande e baixo, com um grande portal. Está cheio. Mas você pode ficar na mesma ou em uma casa, dar a volta por trás do abrigo, como se fosse para o campo. Existem grutas nas montanhas. Às vezes, os comerciantes utilizam como abrigo quando vão a Jerusalém. Existem grutas nas montanhas, não se esqueça: úmida, sem porta, mas são sempre um refúgio, porque a mulher ... não pode "estar no meio da estrada. Talvez você encontre um lugar aí ... e feno para dormir e para o burro. Que Deus os acompanhe. "

 

"E a você dê alegria", respondeu Maria. José por sua parte diz: "A paz esteja com você. "

 

Voltam a seguir o caminho. A concavidade mais extensa pode ser vista a partir da crista para onde eles chegaram. No oco, para cima e para baixo ao longo das encostas suaves que os rodeiam, são casas e casas. É Belém.

 

"Viemos para a terra de David, Maria. Agora você vai descansar. Acho que você está muito cansada ... "

 

"Não. Eu pensei que ... Eu estou pensando ... "Maria apertou a mão de José, e disse com um sorriso de felicidade:" Eu estou pensando que a hora chegou. "

 

 

 

"Que Deus nos socorra! O que faremos? "

 

 

 

"Não temais, José. Esteja atento. Veja como estou calma ? "

 

 

 

"Mas você sofre muito. "

 

 

 

"Oh não! . Estou cheia de alegria. Tanta alegria, tão forte, tão grande, imensa, meu coração está batendo forte e ele diz: " Vai nascer!" Ele diz a cada batida. É meu filho que toca meu coração e disse: "Mãe, já cheguei. Venho para lhe dar um beijo de Deus. Oh, que alegria, meu José!"

 

 

 Mas José não partilha a mesma alegria. Pensa em como é urgente encontrar um abrigo, e acelerar o ritmo. Va ide porta em porta pedindo hospedagem. Nada. Tudo está ocupado. Chegada ao albergue. Tudo está cheio, ao redor do pátio.

publicado por emtudosomenteavontadededeus às 22:53
|  O que é? | favorito

mais sobre mim
Dezembro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


links
pesquisar
 
contador de visitas
estatisticas gratis
blogs SAPO