Janeiro 29 2014

 

As Horas da Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo

 

Serva de Deus Luisa Piccarreta

 

"Todos os remédios que a humanidade necessita se encontram em Minha vida e em Minha paixão"

 

Apresentação das Horas

 

O que são as Horas da Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo?

 

Na idade de 17 anos, Luisa fez uma novena de preparação para o Natal com nove horas de meditação, e depois de tê-la terminado, Nosso Senhor a convidou para meditar de maneira contínua as últimas 24 horas que sofreu durante o transcurso de sua Paixão, começando desde o momento em que se despediu de sua Mãe (antes de instituir a Eucaristia), até terminar no instante em que foi sepultado.

 

Em cada hora de sua Paixão, Nosso Senhor mesmo, nos convida para fazer-lhe companhia e dar-lhe consolo com nosso amor, pois pouco a pouco conforme vamos penetrando cada cena, cada palavra, cada verdade, cada sofrimento, iremos compreendendo quão grande foi o amor de Nosso Deus e por tanto, nos será imposível não amá-lo como merece ser amado.

 

Aprenderemos a descobrir e a conhecer não só a Paixão externa que viveu Jesus, mas também todos aqueles sofrimentos, íntimos e ocultos aos olhos de todas as criaturas: Sua Paixão interna.

 

Por tanto, meditar uma hora da Paixão significa unir-nos a Jesus, para fazer o mesmo que Ele fazia durante cada uma das cenas de sua Paixão, como por exemplo: as orações e reparações que Ele fazia ao seu Pai em seu interior, quando era flagelado, coroado de espinhos, crucificado, etc… e para isso nos servimos deste livro: "As Horas da Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo".

 

De maneira que, cada vez que lemos, meditemos, penetremos ou aprofundemos cada hora de sua Paixão, tratemos de fazer nossas suas mesmas orações, suas mesmas intenções, suas mesmas reparações, para poder junto con Ele, elevá-las ao Pai pela salvação e o bem de toda a humanidade.

 

Depois de viver de maneira contínua estas Horas da Paixão por mais de trinta anos, Santo Anibal Maria de Francia, havendo sido nomeado pela autoridade competente o Censor Eclesiástico para os escritos da Serva de Deus Luisa Piccarreta, lhe impôs em virtude da Santa Obediência por por escrito estas meditações, dando por resultado este Livro do Céu. Vendo a riqueza de seu conteúdo e vislumbrando todo o bem que faria Santo Anibal mesmo se encarregou de publicá-lo em quatro edições (1915, 1916, 1917 e 1924).

 

Depois de que Luisa terminou de escrever o manuscrito original,  o enviou a Santo Anibal junto com uma carta. Nela lhe fala da complacência que Jesus sente quando se meditam estas Horas, pois, o disse ela mesma: é "como se Jesus escutasse sua mesma voz e as mesmas orações que Ele fez diante de seu Pai durante o transcurso das últimas 24 horas de sua dolorosa Paixão".

 

Assim mesmo, junto com o manuscrito e a dita carta, Luisa lhe enviou algumas folhas em  que incluiu os efeitos e promessas que Jesus faz para aqueles que meditem estas Horas de sua Paixão.

 

As meditações se podem fazer como cada pessoa queira, uma ou várias ao dia, uma por semana, etc. Não é necessário realizá-las nas mesmas horas  da meditação, mas quando  puder, por exemplo “das 5 as 6 da tarde”, se pode fazer na manhã, na madrugada, etc.

 

A quem faz as Horas da Paixão, Jesus lhe outorga seus mesmos méritos como se Ele mesmo estivesse sofrendo sua paixão.

 

"Minha filha, estas Horas não as verei como coisas vossas, mas como coisas feitas por mim, e lhes darei meus mesmos méritos, como se Eu estivesse sofrendo no ato de minha paixão, e assim lhes farei obter os mesmos efeitos, segundo a disposição das almas; isto na terra, e pelo qual, maior bem não poderia dar-lhes; depois, no céu, a estas almas as porei frente a mim, flechando-as com flechas de amor e de felicidade, por quantas vezes tenham feito as Horas de minha paixão, e eles também me flecharão. Que doce encanto será isto para todos os bem aventurados!"

 

Se quem medita As Horas da Paixão o faz junto con Jesus e com a mesma Vontade, Jesus dará uma alma por cada palavra que se repita, pois toda a maior ou menor eficácia destas Horas da Paixão está na maior ou menor união que tenhamos com Jesus.

 

« Se as fazem junto comigo e com minha mesma Vontade, por cada palavra que repitam lhes darei uma alma, porque toda a maior ou menor eficácia destas Horas de minha Paixão está na maior ou menor união que tenham comigo.

 

E fazendo-as com minha Vontade, a criatura se esconde em minha Vontade, e fazendo minha Vontade posso fazer todos os bens que quero, mesmo por meio de uma só palavra. E isto, cada vez que as façam. »

 

publicado por emtudosomenteavontadededeus às 23:01
|  O que é? | favorito

Janeiro 12 2014

O ateísmo latente

PC-42 11-out-96 (Atlanta, Conyers) O Senhor 

Minha pequena, que olhares de amor trocamos hoje no altar de nosso compromisso. Se teus olhos não viram, sei que tua alma conseguiu perceber a quantidade de anjos que presenciaram aquele encontro… Agradece aos Meus filhos.

(Jesus se refere às pessoas que tornaram possível nossa viagem.)

 

Continuemos com nosso trabalho… Uma sociedade sem amor e sem Misericórdia se separa de Mim que sou amor, mesmo antes de negar isso explicitamente.

Hoje, a forma mais latente do ateísmo é o ateísmo dialético organizado, que contrapõe à fé cristã no Deus de amor uma interpretação da história que tem seu próprio motor no ódio e na luta de classes, pois vê o homem — Minha criatura preferida — dentro de uma vida econômica cheia de conflitos.

 

Então, é um ateísmo carente de amor e de Misericórdia.

Perto desta forma organizada e agressiva de ateísmo há muitos ídolos que separan o homem de seu Deus: a auto-glorificação — que os leva à sua recusa radical de adorar-Me — a arrogância, a ambição de poder, o terrorismo, o armamentismo, a ameaça de uma auto-destruição total da humanidade, a avidez, a deificação do consumo.

 

Mas, à parte de tudo e como acréscimo, está o ateísmo oculto no coração e no estilo de vida de muitos "cristãos" — coloca-o entre aspas — o contágio progressivo por parte do ateísmo prático e até do ateísmo teórico.

A destruição destes falsos ídolos, a superação das várias formas de ateísmo, são possíveis somente por meio de uma fé viva no amor do Pai, que se revelou em Mim.

 

Somente o homem deixando-se tocar no centro mais íntimo pela mensagem do amor e da graça, correspondendo com todo o coração a este infinito amor que lhe ofereço, poedrá escapar dos perigos e levantar um dique contra as ondas do ateísmo. Neste momento, a fé católica exige de modo particular uma grande decisão. Eu quer o um sim radical ao reino do amor. Somente quem foi conquistado por Meu amor, pode ser um evangelizador digno de crédito e um testemunho fiel da fé. Somente um coração que arde com Meu amor, converte em cinzas qualquer forma de ateísmo oculto. Somente esse amor limpa a visão para desmascarar disfarces de incredulidade. Somente o amor encontra os meios salvíficos de que o mundo necessita urgentemente.

 

Os que foram conquistados por Meu amor, devem se unir mais intimamente neste tempo de grandes e heróicas decisões, para apoiarem-se mutuamente no testemunho comunitário dessa fé, que dá fruto no amor, na verdadeira justiça.

 

Filhos Meus, a decisão que Eu desejo e torno possível é a decisão pelo reino da paz e do amor, a decisão em favor da glorificação de Meu Pai, por meio de um amor fiel. Quem recusa o Meu amor, cai no reino das trevas, das mentiras, do ódio e da inimizade. Decidi-vos, sem reservas, por este amor.

 

Olhai para Meu Coração e compreendei a injustiça de um mundo que tem necessidade de testemunhos dignos de crédito.

 

Oremos juntos agora: Meu Pai, desperta-os do sono, da tibieza, da indifereça. Cumula-os de novo fervor e zelo. Que encontrem os caminhos mais seguros para dar testemunho de Ti e de Mim. Vim para curar um mundo enfermo, mas também sou o sinal diante do qual os homens, Meus irmãos, têm que se decidir. Quero atraí-los ao Meu Coração, Pai, encher seus pequenos corações com Meu amor, para que por sua vez eles encham muitos corações.

Obrigao, pequena, enche-te de paz. Teu Senhor te recompensará e já não ficará dúvida de que és Minha enviada, o pequeno canal que escolhi para derramar sobre o mundo Meu angustioso apelo…

Preparai o terreno para o Deus do amor.

 

Só se entusiasmam pelo que é tangível

PC-43 14-out-96 (Atlanta, Conyers) O Senhor 

Amada Minha, alma que Me pertence, deixa tuas distrações e alimenta-te com Minha presença. Quero que disponhas as coisas de modo que retornes logo para casa. Espera-te uma atividade que te agradará muito, porque novamente comprobareis o quanto espero de vós.

 

Para quantas coisas vou preparando tua alma! Para quantos frutos fui adubando o terreno, umas vezes regando-o com Minhas lágrimas e outras vezes com as tuas!…

 

Mais tarde.

Não vou te deixar ocupada poir muito tempo. Estás de férias agora e vou deixar que as desfrutes plenamente. No entanto, tens uns minutos e vamos aproveitá-los para continuar com nosso trabalho.

Por que esfriou, por décadas, a devoção ao Meu Divino Coração? Este esfriamento foi devido a muitos e complexos fatores: o esfriamento do amor de muitos, a falta de capacidade para se entusiasmar por tudo o que não é tangível, ao apego aos bens e prazeres, ao bombardeio impressionante e cruel da memória e do coração por imagens e sons. Finalmente, a uma insuficiente compreensão de seu fundamento teológico.

 

Quantos Santos se detiveram com gosto na doce contemplação de Meu lado aberto, na porta de salvação donde nascem Minha Igreja, os Sacramentos e todos os caudais das graças.

Observa o Novo Testamento e João, o evangelista de Meu amor, que recostou sua cabeça sobre Meu peito. Em verdade te digo que, quem quiser evangelizar deverá primero recostar, como ele, sua cabeça em Meu peito.

Lê o Antigo Testamento, que te fala de Meu amor ardente e da imagem de Deus Pai de Israel, do divino esposo que permanece fiel ao seu primeiro amor apesar dos pecados do povo; Minha imagem do Bom Pastor.

 

Quando tiveres que falar, põe em teu coração uns minutos o amor insondável que se manifesta na grande amargura de Minha Paixão. Assim como o sol se revela em seu esplendor, a beleza da rosa em seu perfume e sua cor, como se manifesta o fogo em seu ardor. Reflete sozinha, recorda de tuas chagas e de quanto sofro por ti…

Quero que nesses minutos te encerres em Minha ferida aberta, perto de Meu Coração embriagado de amor. Procura demorar-te ali, permanecer ali… Absorve Minha humanidade. Pede-Me que preserve teu coração de toda falsa aparência de amor.

 

Quando te houveres embebido neste Coração tão caluniado e ultrajado, neste Coração tratado de maneira cruel, tão abjeta, então sai para falar e contagia tua devoção como o fez outra Catarina em Sena… Margarida Maria, João Eudes…

Agora vá dormir, por hoje terminamos, Minha doce filhinha…

Jesus a Catalina Rivas

 

publicado por emtudosomenteavontadededeus às 17:37
|  O que é? | favorito

mais sobre mim
Janeiro 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
30
31


links
pesquisar
 
contador de visitas
estatisticas gratis
subscrever feeds
blogs SAPO